Por que Breaking Bad é uma das séries mais cultuadas da atualidade?

15 jun

Após ser diagnosticado com câncer no pulmão, o professor de química Walter White começa a produzir metanfetamina para ganhar dinheiro

Porque ela não é covarde. A série do canal americano AMC, criada por Vince Gilligan, nasceu para contar a história de um professor de química e pai de família da classe média americana que descobre ter poucos meses de vida após ser diagnosticado com um tumor no pulmão, e não se esquiva em mostrar a lama em que o personagem central se afunda a cada dia. Com o título mais que apropriado de “Breaking Bad”, gíria do sul dos Estados Unidos que significa algo como “se dando mal” ou alguma coisa que “está ruim e pode piorar ainda mais”, a série nos mostra a degradação moral do protagonista Walter White (Bryan Cranston). Lançada em janeiro de 2008, a 5ª e última temporada de “Breaking Bad” começa no dia 11 de agosto com a promessa de Gilligan de um final digno a toda a incrível história contada até aqui.

Como o propósito deste texto é apresentar a série e fazer com que o máximo de pessoas possível assista a essa obra-prima da televisão, não haverá spoilers, apenas uma sinopse da trama.

Jesse Pinkman ajuda Walter a entrar no mundo das drogas

Jesse Pinkman ajuda Walter a entrar no mundo das drogas

Após descobrir o câncer no pulmão, Walter White se dá conta de que deixará sua mulher grávida e seu filho adolescente (que tem paralisia cerebral) em sérios problemas financeiros. O trabalho de professor da escola de Albuquerque (cidade do sul americano onde se passa a história) e os bicos no lava-jato local não são suficientes para deixar sua família em uma boa situação econômica após a morte do patriarca. Então, para resolver este problema, Walter decide que precisa fazer dinheiro o mais rápido possível. E ao reencontrar um ex-aluno, o traficantezinho Jesse Pinkman (Aaron Paul), Walter decide cozinhar metanfetamina.

Se algum fã de séries de TV ainda não assistiu a nenhum episódio de “Breaking Bad”, é bem provável que ele ao menos já tenha ouvido falar da história com muito entusiasmo por seus fãs. Tida pela revista Rollling Stone como uma extensão em cinco temporadas dos cinco minutos finais de “Os Bons Companheiros” de Martin Scorsese, a trama de “Breaking Bad” é muito bem equilibrada. Há tensão, ação, calmaria, muitos diálogos e silêncio. Tudo isso amarrado na mais profunda paranóia.

Com uma direção inteligente e com um roteiro quase perfeito, “Breaking Bad” nunca deixa a peteca cair, não se repete, não cai no marasmo e muito menos na covardia de outros seriados (oi, Dexter!), que sempre adiam para o último minuto o clímax da temporada ou da série. Acontecimentos não faltam na história da AMC. Mas não pensem que isso acarreta tramas desnecessárias, muito pelo contrário. Todos os acontecimentos da série estão conectados à trama principal, e nada, absolutamente nenhuma história é inserida sem um propósito maior. E isso não é uma percepção apenas de fã, já que o Sindicato dos Roteiristas da América (WGA) colocou “Breaking Bad” em 13º no ranking de séries mais bem escritas de todos os tempos.

O elenco da série é compacto e talentoso

O elenco da série é compacto e talentoso

Além do roteiro de dar inveja, “Breaking Bad” tem um elenco compacto e talentoso. A família White é composta por Walter, a esposa Skyler (Anna Gunn), o filho adolescente, Walter Jr., (RJ Mitte, que realmente tem paralisia cerebral) e a filhinha caçula. Skyler, dona de casa inteligente que desconfia da nova rotina do marido, tem uma irmã cleptomaníaca, Marie (Betsy Brandt), casada com Hank Schrader (Dean Norris), agente da DEA, divisão antidrogas da polícia. O elenco ainda conta com o advogado do protagonista, Saul Goodman (Bob Odenkirk), e com o poderoso líder do tráfico Gus Fring (Giancarlo Esposito).

Bryan Cranston, que venceu três Emmys consecutivos (2008, 2009, 2010) como melhor ator em série dramática, e Aaron Paul, que ganhou o Emmy de melhor ator coadjuvante em 2010, são os preferidos da maioria dos fãs. É inegável o talento dos dois e como eles conseguem transmitir todas as nuances dos personagens na tela, mas meu preferido é Hank Schrader. O agente da DEA é brilhantemente interpretado por Norris, que dá toda a humanidade necessária ao personagem. Hank não é o protagonista, mas toma a cena muitas vezes. Ele é o típico policial machão, o homem de família que dá conta de tudo, que tem a melhor casa, o melhor carro e que se preocupa com o restante da família. Mas ao mesmo tempo não consegue lidar com os problemas da esposa e sofre com a síndrome do pânico.

O agente e cunhado de Walter White, Hank Schrader, é um dos grandes destaques da série

O agente e cunhado de Walter White, Hank Schrader, é um dos grandes destaques da série

“Breaking Bad” se propõe a mostrar um homem que, com a iminência da morte, perde todas as amarras morais e sociais para conseguir o que quer. White percebe que não conquistou nada na vida sendo bonzinho e parte para o lado negro da força para ter que o que sempre quis, para ter o que ele acha que merece. E seguir essa trajetória significa deixar o bom mocismo de lado e mergulhar fundo no mundo das drogas, que em nenhum momento se separa da ilegalidade e da violência. Vince Gilligan mostra isso sem delongas ou enfeites.

Em muitas tramas o protagonista caminha rumo à redenção, mas em “Breaking Bad”, como o próprio título sugere, vemos Walter White seguir passo a passo rumo ao fundo do poço.

Anúncios

2 Respostas to “Por que Breaking Bad é uma das séries mais cultuadas da atualidade?”

  1. Jane 27 de junho de 2013 às 02:52 #

    Cara Debora.
    Vou te deixar duas questão que estão me deixando com uma “pulga atrás da orelha”.
    Acompanho tanto Breaking Bad quanto Dexter e vi dois pontos em comum.
    O vilão Gus Fring interpretado pelo ótimo Giancarlo Sposito,é um traficante GAY(enrustido, claro, kk) que tem uma dívida de ódio com o igualmente odioso Tio Salamanca por este ter assassinado o “parceiro” dele. Não tem algo em comum com o vingativo mafioso Isaak (vivido pelo igualmente ótimo Ray Stevenson) da 7ª temporada de Dexter?!
    No final da quarta temporada de Breaking é mostrado uma planta que teria sido usada por Walter pra envenenar o filho do Jesse. Não tem algo em comum com a HANNA do Dexter, em vista que na maioria das vezes ela envenenava seus rivais e no final d a7ª temporada eles mostraram ela colocando uma “florzinha” suspeita na frente do apê do Dex?!
    Coincidências, ou Manny Coto é simplesmente um LADRÃO de idéias alheias?!
    Bjo.

    • blogsaladadebacon 27 de junho de 2013 às 16:20 #

      Olha só… não tinha reparado nisso. É verdade, Jane.
      Mas usar referências não é tanto problema, a questão é que em Dexter os plots não foram bem amarrados, rsss

      Obrigada pelo comentário
      Ass: Débora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: