Cinema: Resenha de Jogos Vorazes

6 jun
A ganhadora do Oscar Jennifer Lawrence dá vida à Katniss Everdeen no cinema

A ganhadora do Oscar Jennifer Lawrence dá vida à Katniss Everdeen no cinema

Lançado em março de 2012, “Jogos Vorazes” chegou para ocupar o vazio deixado pela saga “Crepúsculo” no mercado cinematográfico voltado para o público jovem adulto. Mas o filme baseado no livro homônimo de Suzanne Collins, lançado em 2008, está longe de ser uma história de amor entre humanos e vampiros. A obra mistura ficção científica, ação, romance e aventura. Tudo isso amarrado com muita crítica social. Dirigido por Gary Ross (roteirista de “Quero Ser Grande”), o filme conta com ótimo elenco: Jennifer Lawrence (vencedora do Oscar pelo “Lado Bom da Vida”), Josh Hutcherson (“Minhas Mães e Meu Pai”), Liam Hemsworth (“A Última Música”), Woody Harrelson (“Zumbilândia”), Elizabeth Banks (“O Virgem de 40 anos”), Stanley Tucci (“O Diabo Veste Prada”), entre outros nomes.

A trama de “The Hunger Games” se passa num futuro não definido em Panem (clara referência a expressão latina panem et circenses – pão e circo), nação formada após a destruição dos Estados Unidos. Panem é governada por um regime totalitarista que controla os 12 distritos formadores desta nação. Para reafirmar seu poder junto ao povo, o governo promove anualmente os Jogos Vorazes, reality show que coloca dois representantes (um garoto e uma garota entre 12 a 18 anos) de cada distrito para lutarem numa arena até a morte. Katniss Everdeen (Lawrence) e Peeta Mellarck (Hutcherson) são os escolhidos do Distrito 12, comunidade extremamente pobre e que se sustenta com a escavação de carvão. Peeta foi selecionado pelo cruel sorteio e Katniss se ofereceu para entrar na arena após ver o nome de sua irmã caçula ser escolhido para os Jogos.

Após o sorteio, o casal segue para a capital, onde se prepara para entrar na arena. E é aí que começa uma das grandes críticas da história. 24 crianças e adolescentes estão se preparando para um evento transmitido ao vivo para todo o país onde apenas uma deles irá sobreviver. Mas esse detalhe não parece afetar os moradores da capital. Os tributos (como são chamados os jogadores) são tratados como animais para uma simples exibição. Eles passam por tratamentos de beleza, treinamentos de luta e são entrevistados pelo apresentador dos Jogos (interpretado pelo ótimo Tucci), e em todos os momentos têm que aparecer lindos, saudáveis e felizes para a audiência. Tudo isso para atrair patrocinadores, que poderão enviar presentes para seus escolhidos durante os Jogos. O mundo está numa decadência tão grande que ver jovens se digladiando numa arena até a morte é um entretenimento.

Em meio à luta para sobreviver na arena, surge um envolvimento amoroso entre os protagonistas. E aí temos outra crítica, pois é impossível saber se o casal está junto por amor ou para se manter vivo, já que a formação de um casal geralmente beneficia os jogadores (não é Big Brother Brasil?).

Katniss e Peeta. Unidos pelo amor ou pela sobrevivência na arena?

Katniss e Peeta. Unidos pelo amor ou pela necessidade de sobreviver na arena?

Com uma adaptação bastante fiel ao livro, resultado obtido não apenas pela presença de Collins no time de roteiristas do longa, mas também por sua participação em quase todas as etapas de produção, o filme peca apenas por seu inexperiente diretor.

A câmera trêmula o tempo inteiro incomoda, principalmente a quem já leu os livros, e que vê no filme uma oportunidade de contemplar aqueles personagens. É louvável a tentativa de sutileza por parte da direção, como o corte no som quando a protagonista perde a audição após explodir os suprimentos na arena. É melhor ver essas sacadas de edição do que colocar uma fala na boca da personagem dizendo que está surda. Mas em muitos momentos isso é feito de uma maneira sutil demais, não dando ao espectador que não leu os livros a noção do que está acontecendo na tela. Sem contar na pobreza da produção em alguns momentos como, por exemplo, quando o casal aparece em chamas no desfile de apresentação a Panem.

Também faltou sujeira e sangue no filme. As lutas têm cortes muito rápidos e não é possível ver a violência que está nos livros, assim como também são sublimadas as dezenas de graves ferimentos de todos os jogadores, principalmente dos protagonistas. Também falou explorar mais o romance de Peeta e Katniss. Mas isso deve ser relevado, pois o filme busca fisgar um público muito jovem e precisa de classificação livre para isso.

Além de uma excelente história, Jogos Vorazes conta com um ótimo elenco

Além de uma excelente história, Jogos Vorazes conta com um ótimo elenco

Apesar desses defeitos e de não apresentar muito bem o panorama atual de Panem e como o mundo chegou ao ponto onde está, a produção do filme ganha pontos com os fãs-leitores ao retratar a capital. Os cortes de cabelo, as barbas, figurinos, tatuagens e demais extravagâncias dos frívolos habitantes são primorosamente mostrados na tela.

Talvez uma das grandes sacadas da história seja unir o velho e novo. Enquanto o governo leva apenas alguns segundos no computador para criar bestas gigantes para aterrorizar os tributos na arena e os nativos da capital precisam apenas de um controle remoto para conseguir um farto jantar, Katniss vive numa casa rudimentar e precisa passar horas na floresta aguardando um animal aparecer para ser abatido por seu velho arco e flecha, para assim poder alimentar a mãe a irmã.

Peeta, Katniss e Gale formam o triângulo amoroso do sci-fi jovem

Peeta, Katniss e Gale formam o triângulo amoroso do sci-fi jovem

Apesar de algumas falhas de produção e de uma direção insegura, o filme é ótimo. E isso se deve a seu roteiro inteligente. Suzanne Collins conhece o público que quer atingir e chega até os jovens adultos da melhor maneira possível: sem insultar sua inteligência. Toda a história tem embasamento e diversas referências, pois é impossível assistir “Jogos Vorazes” e não se lembrar de “1984”, “Admirável Mundo Novo”, ou de governos totalitaristas que sufocam seu povo, de reality shows que ganham mais espaço nas TV’s e, para os mais atentos, é impossível não trazer “Shakespeare” à mente.

“Jogos Vorazes” é um produto voltado para o público jovem, mas que oferece um pouco mais que entretenimento. Se as crianças e adolescentes conseguirem enxergar além dos lindos olhos de Jennifer Lawrence e do charme de Josh Hutcherson, é possível enxergar todo o pano de fundo social da trama. E quem sabe a partir daí eles não busquem conhecer os livros citados aí em cima… Torço para isso.

Por Débora Anício

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: