Arquivo | junho, 2013

Julianne Moore pode integrar elenco de “Jogos Vorazes – A Esperança”

27 jun

Julianne Moore

“Jogos Vorazes – Em Chamas”, segundo filme da franquia “Jogos Vorazes”, só chega aos cinemas em 15 de novembro, mas Francis Lawrence já está trabalhando no próximo episódio da saga de Katniss Everdeen, interpretada por Jennifer Lawrence. O diretor está de olho na talentosa Julianne Moore para viver a personagem Alma Coin e tudo indica que a negociação será finalizada em breve.

Coin é uma figura importante no terceiro livro da trilogia escrita por Suzanne Collins e deve ter um papel de destaque nos dois últimos filmes: “Jogos Vorazes – A Esperança: Parte 1″ (21 de novembro de 2014) e” Jogos Vorazes – A Esperança: Parte 2″ (20 de novembro de 2015). O Salada não dará spoilers, então o máximo que podemos dizer é que a personagem Coin tem papel fundamental no terceiro livro, inclusive com ótimos embates com a protagonista. O que poderá gerar cenas ótimas entre Lawrence e Moore.

Enquanto sua participação na série “The Hunger Games” não é confirmada, Julianne Moore continua com a agenda bastante disputada. Após ganhar um prêmio do Emmy por sua atuação em “Virada no Jogo”, a atriz retorna aos cinemas ainda este ano com “Seventh Son”, “Don Jon” e “Carrie – A Estranha”.

Enquanto a participação da ótima Julianne Moore não é confirmada, e o segundo filme não chega aos cinemas, confira o trailer de “Jogos Vorazes – Em Chamas”, que estreia no dia 15 de novembro.

Fonte: Adoro Cinema

O que esperar da última temporada de Dexter?

26 jun
DEXTER (Season 8)

A 8ª e última temporada de Dexter começa neste domingo, dia 30 de junho

ATENÇÃO: O texto a seguir não reflete a opinião do blog Salada de Bacon, mas de sua autora: Débora Anício. Lembrando que cada um tem direito à sua opinião, só não iremos aceitar ofensas nos comentários.

Meu sonho é que a última temporada de Dexter dê um final digno às quatro ótimas primeiras temporadas da série. Mas isso é apenas uma ilusão passageira, pois o máximo que irá acontecer é a 8ª temporada fechar as histórias mal contadas dos últimos três anos.

O que quero muito, MUITO MESMO, é ver Dexter morto. Depois de tudo que aconteceu, o mínimo que o serial killer merece é a ponta de uma faca em seu pescoço.

Pelos spoilers que já li, Deb vai começar a 8ª temporada da maneira que eu sempre quis: a detetive vai ignorar o irmão. Se Dexter fosse uma série coerente e se eu ainda tivesse ilusões com a trama, apostaria num clímax incrível entre os personagens com esse plot. Mas como esse não é o caso, acho que essa estranheza entre os irmãos vai durar apenas dois episódios. Depois Deb volta a ser a personagem patética em que se transformou no fim do 6º ano e vai desperdiçar sua vida sendo devota ao irmão, que provavelmente não vai ligar a mínima pra ela quando Hannah voltar.

MichaelCHall-Jennifer Carpenter (2)

Quanto aos coadjuvantes… Bom, todos eles devem se manter desnecessários ao desenrolar da trama como sempre. Quinn seguirá um idiota sem rumo, Masuka um tarado sem mulheres, Batista um chefe sem perspectiva de vida, Harrison aparecendo por dois minutos e sua babá idem.

Novidades

A personagem Dra. Evelyn Vogel (Charlotte Rampling) entrará na série e, ao que tudo indica, a expert em psicopatas vai se interessar em estudar nosso serial killer. E em outro spoiler que li, a Dra. parece ter sido amiga de Harry e teria, inclusive, ajudado o pai de Dexter a criar o seu código.

O que poderia ser espetacular no início da trama ganha ares de samba do crioulo doido agora. Por que inserir a criadora do código de Harry agora, já que o próprio código acabou por perder seu sentido ao longo de sete anos e foi totalmente infantilizado na última temporada?

Além de ignorar o irmão, Debra também estará fora da Miami Metro, trabalhando como detetive particular, mergulhada em remédios e drogas e voltando à sua velha vida de pegar vários caras. Tudo isso devido ao stress pós-tramáutico causado pelo assassinato de LaGuerta.

É possível que o ex-casal se reaproxime nesta temporada

É possível que o ex-casal se reaproxime nesta temporada

E ao que tudo indica, nossa querida policial boca suja poderá voltar para Quinn. O que torna ainda mais sem sentido o término dos dois na 6ª temporada. Não que eu morra de amores pelo Quinn, mas o romance só acabou para que ela se apaixonasse por Dexter. E isso só aconteceu porque os roteiristas acreditavam que precisava haver um motivo maior para Deb aceitar o irmão assassino. E depois que a paixão não colou entre os fãs, e a descoberta do grande segredo não foi nem de longe bem explorada, os roteiristas decidem dar uma requentada no namoro de Deb e Quinn. Não sei se eles vão reatar, mas o simples fato de por essa possibilidade já demonstra o fracasso que foi para a trama o término deste relacionamento entre os policiais.

O fim

Uma das coisas mais legais dessa reta final foi ver grande parte do elenco reunido na festa de lançamento da 8ª temporada. Atores como John Lithgow (Trinity), Julie Benz (Rita) e Jaime Murray (Lila) compareceram à festa e falaram sobre a série.

Grande parte do elenco se reuniu para a festa de lançamento da 8ª temporada

Grande parte do elenco se reuniu para a festa de lançamento da 8ª temporada

Em sua entrevista, Julie Benz falou do clima das gravações do piloto em Miami, e nesse momento minha mente viajou para a primeira temporada. Para aquele início marcado por uma fotografia clara e atores suados para mostrar o insuportável calor de Miami. Aquele início onde o protagonista me encantou logo de primeira por eu não fazer ideia do que/quem ele era. Para aquele momento em que a série era orgânica, coerente, os personagens eram bem apresentados, construídos e desenvolvidos. Época em que a música latina dava o tom do clima alto astral e praieiro da cidade e a música instrumental dava o tom da escuridão do protagonista. Fui transportada para a época em que a série era preocupada com detalhes e, principalmente, com o desenrolar conciso de sua trama.

E me dei conta de que, apesar de a série ter perdido todo o seu encanto para mim, eu ainda espero, embora sem muita convicção, que o fim da 8ª temporada ao menos respeite o que foi criado naquele piloto sensacional. Espero que o fim não se preocupe em encerrar as tramas das últimas três temporadas ruins, mas que faça jus às quatro primeiras sensacionais temporadas. Porque um dia, lá atrás, bem atrás, Dexter foi uma série FODA!

MichaelCHall (1)

P.S.:

Quando assisti ao episódio final da quarta temporada, lá pelas 01h da manhã, fiquei super ansiosa e vi o início da quinta temporada logo na sequência. O que me fez perder quase uma noite de sono. Não conseguiria dormir sem ver uma sequência para aquele desfecho chocante e sensacional, e me perguntei como os fãs aguentaram meses para ver o que se passaria após a morte de Rita. Mas hoje vejo que aquele episódio, “The Getaway”, deveria ter sido o último da saga de Dexter. Por que não acabou ali? POR QUE, Showtime? Teria sido perfeito.

Texto publicado também no Dexter Brasil. Maior site brasileiro da série.

dexterBR_288x90

Por Débora Anício

Dica de cinema: A Caça (2012)

25 jun

Menina o acusa de assédio

Crianças não mentem, certo? Errado. E é em torno dessa mentira estabelecida como verdade absoluta pela sociedade que começa “A Caça”, filme dinamarquês dirigido por Thomas Vinterberg lançado em 2012.

O drama gira em torno de Lucas (Mads Mikkelsen), um homem pacato que vive numa cidade do interior. Lucas trabalha em uma creche e está tentando se reestabelecer após se separar e perder a guarda do filho adolescente para a ex. Mas tudo muda em sua vida quando uma das alunas da creche diz à professora que Lucas mostrou a ela suas partes íntimas.

Apesar de ser a vilã da história, é muito difícil sentir ódio da garota

Apesar de ser a vilã da história, é muito difícil sentir ódio da garota

A garota de cinco anos, Klara (Annika Wedderkopp), é filha do melhor amigo do protagonista e está sempre em contato com ele. A garota acaba confundindo seus sentimentos e as informações que recebe todos os dias e inventa a história. Em alguns momentos tentei sentir ódio da menina, mas ela é tão angelical e tão vítima da situação que é complicado não se compadecer da garota.

A falsa acusação de assédio sexual ganha proporções enormes e prejudica a vida do protagonista. A comunidade que antes o respeitava passa a hostilizar Lucas e, seu melhor amigo e pai de Klara, fica dividido na confiança que tem em Lucas e na fé em sua pobre e inocente filha.

O filme é belíssimo, tem boas atuações e uma fotografia incrível. A garota é muito talentosa e passa muito bem os devaneios e dúvidas de Klara. Mas o foco da atenção deve ir para a caça, ou seja, o protagonista, personagem que rendeu a  Mads Mikkelsen o prêmio de melhor ator no Festival de Cannes de 2012.

Lucas vê sua vida se transformar num inferno após ser acusado de assediar uma garota de cinco anos

Lucas vê sua vida se transformar num inferno após ser acusado de assediar uma garota de cinco anos

O personagem é tão honesto, verdadeiro e honrado que em nenhum momento ele se ajoelha para ninguém jurando que não abusou da menina. Ele tem tamanha convicção do que é, que acha uma violência o simples fato de ser acusado de abusar de uma criança. Ele sempre demonstrou o que era em suas ações e acredita que todos ao seu redor deveriam saber que ele é um homem digno. Mas não é bem isso que acontece.

O filme dinamarquês nos mostra um homem sem pecados entrando num inferno. Um homem que não tem condições de confrontar seu algoz. Um homem que não consegue sentir raiva da garota, mas apenas tristeza por ver que a vida dela também saiu de foco com sua pequena mentirinha. Pois mesmo que Klara tente desmentir a história, nada está claro em sua mente infantil e imaginativa. E os pais acreditam que a tentativa da menina de livrar Lucas é apenas medo de medo de retaliações.

“A Caça” vale muito a pena. É um filme contemplativo sem ser chato. E dramático sem ser água com açúcar.

Confira o trailer

https://www.youtube.com/watch?v=gwxYwb7NbDI

Por Débora Anício

CALENDÁRIO SÉRIES: Season Premiere – Brasil – JULHO (1ª quinzena)

25 jun

01/07 – Dexter (S08E01)

01/07 – Ray Donovan (S01E01)

01/07 – Skins (UK) – (S07E01)

02/07 – American Ninja Warrior (S05E01)

02/07 – Siberia (S01E01)

02/07 – Luther (S03E01)

11/07 – The Bridge (US) – (S01E01)

12/07 – Orange is the New Black (S01E01)

12/07 – NTSF:SD:SUV (S03E01)

15/07 – Tia & Tamera (S03E01)

15/07 – The Newsroom (S02E01)

 

No Salada de Bacon: 

Conheça Ray Donovan, a nova série da Showtime

Orange is the New Black: série da Netflix ganha trailer e pôster nacional

Showtime libera informações sobre a 8ª temporada de Dexter

Filme rodado em 2007 por Jennifer Lawrence estreia em julho

25 jun

De acordo com informações do E!, o longa filmado em 2007 pela vencedora do Oscar Jennifer Lawrence estreia em 09 de julho nos cinemas americanos. O suspense demorou tanto a ser lançado por falta de um distribuidor, problema que só foi resolvido agora. A produção não tem data de estreia no Brasil e nem planos de ser distribuído em DVD ou Blu-Ray.

Pelo trailer, pouca divulgação e, claro, pela demora em ser lançado, o filme de baixo orçamento não desperta previamente muita atenção e é difícil dizer se chegará aos cinemas brasileiros e se irá trair o público norte-americano. Porém, a produção conta com uma das atrizes mais famosas hoje em dia, e isso deverá atrair muita atenção para o modesto filme.

P.S.:

*O filme não tem cara de ser muito bom

*Mas, levando em conta a carreira regular e repleta de filmes bons de Lawrence, é possível uma surpresa agradável

Confira o trailer

18 de junho – Dia do químico

18 jun

tumblr_ma1kzvWqk71qzpxx1o1_1280

 

 

Parabéns Heisenberg…

American Horror Story – Balanço da 1ª temporada

16 jun

american-horror-story-1

Poucas vezes vi o conceito de casa mal assombrada ser tão bem explorado na televisão. O mundo bizarro de “American Horror Story” consegue ser assustador e encantador ao mesmo tempo. E tudo isso devido à qualidade da trama, que parece fazer uma mistura entre o pior e o melhor dos filmes de terror. A série de drama-terror lançada em 2011 pela FX foi muito bem recebida pela crítica e rendeu à Jessica Lange um Globo de Ouro como melhor atriz coadjuvante.

A série de TV é realizada como uma espécie de minissérie, onde cada temporada se passa em um local diferente e com tramas diferentes. A primeira temporada se passa numa casa mal assombrada. Já a segunda, que estreou em 2012, acontece numa instituição psiquiátrica. E a terceira temporada da série, que tem estreia marcada para outubro deste ano, deve girar em torno de acontecimentos diabólicos, mas ainda sem local definido.

A trama da primeira temporada, centrada na família Harmon, nos mostra a tentativa de Ben e Vivien (Dylan McDermott e Connie Britton) em salvar seu casamento. A crise começou quando a esposa pegou seu marido na cama com uma de suas alunas. Para tentar seguir em frente, o psiquiatra decide sair de Boston e comprar uma linda e aconchegante casa em Los Angeles, para onde leva sua mulher e sua filha, Violet (Taissa Farmiga), na esperança de dar um novo fôlego à sua quebrada família.

Porém a família Harmon não sabia que estava se mudando para a Murder House (casa assassina).  Ao aterrissar eu seu novo aconchego, os novos moradores começam a ver coisas estranhas pela bela e antiga mansão construída na década de 20.

american-horror-story-season família Harmon

A família Harmon se muda para Los Angeles para tentar uma vida feliz. Isso, claro, sem saber que compraram uma casa mal assombrada

No início da série a confusão dos personagens é transferida para o público, que não faz ideia do que está acontecendo. A edição de cada episódio e os fatos cada vez mais bizarros transformam a cabeça dos personagens e da audiência numa verdadeira zona. É impossível saber o que é real ou imaginação. E muito difícil entender a relação das dezenas de personagens apresentadas com a famigerada mansão. Mas aos poucos a série vai nos dando respostas e nos deixa totalmente a par do que está acontecendo.

Assassinatos, violência, sangue, fantasmas, maldições, halloween, estupro, escuridão, sustos, monstros e milhares de outras coisas estranhas e assustadoras acontecem em todos os episódios. O que deixa a trama dinâmica. Mórbida sim, mas jamais entediante.

AmericanHorrorStory elenco

A história é tão boa que me pegou logo no episódio piloto. E olha que o gênero terror não faz muito minha cabeça. Mas acredito que isso se deva a um roteiro muito bem escrito e amarrado. Afinal, a série não tem a intenção apenas em pregar sustos na audiência, mas contar uma história em 12 episódios. Então todas as bizarrices estão conectadas, para no fim, fazerem todo o sentido na cabeça do espectador.

“American Horror Story” é uma ótima pedida para quem adora terror, e também uma boa opção para quem curte um bom drama. Há cenas assustadoras, mas não tão aterrorizantes a ponto de ser impossível encarar a tela. AHS é um drama-terror que merece ser prestigiado.

Confira o trailer da primeira temporada

Produção brasileira vence “Cannes da animação”

16 jun

Historia-Amor-e-Furia

Primeira animação brasileira a ser selecionada para o Festival de Annecy, conhecido como o “Cannes da animação”, o filme brasileiro “Uma história de amor e fúria”, de Luiz Bolognesi, conquistou o principal prêmio do evento em cerimônia realizada ontem na cidade francesa. A produção custou 3 milhões de dólares, segundo a revista Variety, e levou seis anos para ser finalizada.

O filme é a primeira experiência de Bolognesi como diretor. Ele foi roteirista dos filmes “Bicho de Sete Cabeças” (2001), “Chega de Saudade” (2008) e “As Melhores Coisas do Mundo” (2010). A trama de “Uma história de amor e fúria” gira em torno da experiência de um guerreiro indígena que, ao morrer, assume a forma de um pássaro e vive 600 anos de história do Brasil: da colonização, passando pela ditadura militar, até o ano de 2096, quando acontece a guerra pela água. Camila Pitanga, Selton Mello e Rodrigo Santoro são algumas das vozes que deram vida aos personagens da animação voltada para o público adulto.

Premiados
Considerado um dos principais eventos do gênero de animação, o Festival de Annecy também premiou o filme espanhol “O apóstolo” como a melhor produção segundo o público. Além dele, “Room on the Broom” venceu como melhor produção, o canadense “Subconscious Password” foi eleito o melhor curta e “Dumb Ways to Die”, produzido pela McCann em Melbourne, na Austrália, arrematou o prêmio de melhor animação comissionada. Ao todo, 236 produções participaram da competição.

Fonte: Exame.com

Confira o trailer da animação

Por que Breaking Bad é uma das séries mais cultuadas da atualidade?

15 jun

Após ser diagnosticado com câncer no pulmão, o professor de química Walter White começa a produzir metanfetamina para ganhar dinheiro

Porque ela não é covarde. A série do canal americano AMC, criada por Vince Gilligan, nasceu para contar a história de um professor de química e pai de família da classe média americana que descobre ter poucos meses de vida após ser diagnosticado com um tumor no pulmão, e não se esquiva em mostrar a lama em que o personagem central se afunda a cada dia. Com o título mais que apropriado de “Breaking Bad”, gíria do sul dos Estados Unidos que significa algo como “se dando mal” ou alguma coisa que “está ruim e pode piorar ainda mais”, a série nos mostra a degradação moral do protagonista Walter White (Bryan Cranston). Lançada em janeiro de 2008, a 5ª e última temporada de “Breaking Bad” começa no dia 11 de agosto com a promessa de Gilligan de um final digno a toda a incrível história contada até aqui.

Como o propósito deste texto é apresentar a série e fazer com que o máximo de pessoas possível assista a essa obra-prima da televisão, não haverá spoilers, apenas uma sinopse da trama.

Jesse Pinkman ajuda Walter a entrar no mundo das drogas

Jesse Pinkman ajuda Walter a entrar no mundo das drogas

Após descobrir o câncer no pulmão, Walter White se dá conta de que deixará sua mulher grávida e seu filho adolescente (que tem paralisia cerebral) em sérios problemas financeiros. O trabalho de professor da escola de Albuquerque (cidade do sul americano onde se passa a história) e os bicos no lava-jato local não são suficientes para deixar sua família em uma boa situação econômica após a morte do patriarca. Então, para resolver este problema, Walter decide que precisa fazer dinheiro o mais rápido possível. E ao reencontrar um ex-aluno, o traficantezinho Jesse Pinkman (Aaron Paul), Walter decide cozinhar metanfetamina.

Se algum fã de séries de TV ainda não assistiu a nenhum episódio de “Breaking Bad”, é bem provável que ele ao menos já tenha ouvido falar da história com muito entusiasmo por seus fãs. Tida pela revista Rollling Stone como uma extensão em cinco temporadas dos cinco minutos finais de “Os Bons Companheiros” de Martin Scorsese, a trama de “Breaking Bad” é muito bem equilibrada. Há tensão, ação, calmaria, muitos diálogos e silêncio. Tudo isso amarrado na mais profunda paranóia.

Com uma direção inteligente e com um roteiro quase perfeito, “Breaking Bad” nunca deixa a peteca cair, não se repete, não cai no marasmo e muito menos na covardia de outros seriados (oi, Dexter!), que sempre adiam para o último minuto o clímax da temporada ou da série. Acontecimentos não faltam na história da AMC. Mas não pensem que isso acarreta tramas desnecessárias, muito pelo contrário. Todos os acontecimentos da série estão conectados à trama principal, e nada, absolutamente nenhuma história é inserida sem um propósito maior. E isso não é uma percepção apenas de fã, já que o Sindicato dos Roteiristas da América (WGA) colocou “Breaking Bad” em 13º no ranking de séries mais bem escritas de todos os tempos.

O elenco da série é compacto e talentoso

O elenco da série é compacto e talentoso

Além do roteiro de dar inveja, “Breaking Bad” tem um elenco compacto e talentoso. A família White é composta por Walter, a esposa Skyler (Anna Gunn), o filho adolescente, Walter Jr., (RJ Mitte, que realmente tem paralisia cerebral) e a filhinha caçula. Skyler, dona de casa inteligente que desconfia da nova rotina do marido, tem uma irmã cleptomaníaca, Marie (Betsy Brandt), casada com Hank Schrader (Dean Norris), agente da DEA, divisão antidrogas da polícia. O elenco ainda conta com o advogado do protagonista, Saul Goodman (Bob Odenkirk), e com o poderoso líder do tráfico Gus Fring (Giancarlo Esposito).

Bryan Cranston, que venceu três Emmys consecutivos (2008, 2009, 2010) como melhor ator em série dramática, e Aaron Paul, que ganhou o Emmy de melhor ator coadjuvante em 2010, são os preferidos da maioria dos fãs. É inegável o talento dos dois e como eles conseguem transmitir todas as nuances dos personagens na tela, mas meu preferido é Hank Schrader. O agente da DEA é brilhantemente interpretado por Norris, que dá toda a humanidade necessária ao personagem. Hank não é o protagonista, mas toma a cena muitas vezes. Ele é o típico policial machão, o homem de família que dá conta de tudo, que tem a melhor casa, o melhor carro e que se preocupa com o restante da família. Mas ao mesmo tempo não consegue lidar com os problemas da esposa e sofre com a síndrome do pânico.

O agente e cunhado de Walter White, Hank Schrader, é um dos grandes destaques da série

O agente e cunhado de Walter White, Hank Schrader, é um dos grandes destaques da série

“Breaking Bad” se propõe a mostrar um homem que, com a iminência da morte, perde todas as amarras morais e sociais para conseguir o que quer. White percebe que não conquistou nada na vida sendo bonzinho e parte para o lado negro da força para ter que o que sempre quis, para ter o que ele acha que merece. E seguir essa trajetória significa deixar o bom mocismo de lado e mergulhar fundo no mundo das drogas, que em nenhum momento se separa da ilegalidade e da violência. Vince Gilligan mostra isso sem delongas ou enfeites.

Em muitas tramas o protagonista caminha rumo à redenção, mas em “Breaking Bad”, como o próprio título sugere, vemos Walter White seguir passo a passo rumo ao fundo do poço.

Star Trek estreia nesta sexta no Vale do Aço, COM LEGENDAS!!

13 jun

star-trek-além-da-escuridão1

De acordo com o site da Moviecom.com, iremos participar do lançamento nacional do novo filme da franquia Jornada nas Estrelas: Star Trek – Além da Escuridão (Star Trek – Into Darkness). O filme, que foi lançado lá fora no último final de semana, é o segundo longa desta nova fase da história cinematográfica de Spock e do Capitão Kirk, novamente dirigido por J.J. Abrams, criador de Lost e responsável pela direção de Star Wars VII. E chega ao Moviecom do Vale do Aço com opções em 3D, dubladas e legendadas. Além de Star Trek, estarão em cartaz no Moviecom “Se beber, não case! Parte III” e Velozes e Furiosos 6”, em cartaz nas últimas semanas.

Star Trek: Além da Escuridão se inicia quando a tripulação da Enterprise é enviada para um planeta distante em uma missão de reconhecimento. Após mais uma ação em que Kirk ignora regulamentos da Federação (de novo) para salvar os membros de um planeta em perigo e o seu amigo, Spock, é rebaixado de posto e perde o comando da Enterprise. Em meio a esta crise pessoal uma maior se apresenta quando um renegado membro da Federação, de nome John Harrinson, orquestra uma série de ataques no planeta Terra com consequências terríveis. Em busca de vingança e respostas a tripulação da Enterprise parte atrás deste terrível inimigo.

O elenco é um dos pontos altos do filme, formado por Chris Pine (Guerra é Guerra) fazendo o capitão Kirk, Zachary Quinto (Margin Call: O Dia Antes do Fim) vivendo Spock, Zoe Saldana (Ladrões) interpretando Uhura, Karl Urban (Dredd) vivendo Dr. McCoy, Simon Pegg (Missão Impossível: Protocolo Fantasma) fazendo Scotty, John Cho (O Vingador do Futuro) vivendo Sulu, Anton Yelchin (A Hora do Espanto) fazendo Chekov, Peter Weller fazendo o Almirante Marcus, Alice Eve (O Corvo) vivendo a Dr. Carol Marcus, sem contar a esperadíssima participação de Benedict Cumberbatch (Sherlock) fazendo o vilão John Harrinson.

Ainda dá tempo!

Se você ainda não viu ‘Homem de Ferro 3’, você tem apenas esta quinta (13) para assistir aqui no Vale do Aço. Outro filme que sairá de cartaz é a animação Reino Escondido. Ambas as cópias são dubladas.

Horários:

PROGRAMAÇÃO MOVIECOM VALE DO AÇO

Além da Escuridão – Star Trek (Dublado e 3D)         

Sala 2: 13h40* – 16h20 – 19h00

Além da Escuridão – Star Trek (Legendado e 3D)             

Sala 2: 21h40

Se Beber, Não Case! Parte III (Dublado)           

Sala 3: 14h50* – 17h00 – 19h10 – 21h20

Velozes & Furiosos 6 (Dublado)               

Sala 1: 13h30* – 16h10 – 18h50 – 21h30

*Sessões disponíveis apenas aos sábados e domingos

Confira o trailer do filme: